Sistema de busca interna
Os ítens mais recomendados de nossa livraria ___________

Quem Somos..... Artigos .....Literaturas..... Revistas .....Fale Conosco ..... Home
revistacrista.org
__________________________________________________________________________________________________________________________________
Tópicos relacionados____________________________________________________________________________________________________________________
Apocalipse
... Saiba mais...
Geração, Última
... Saiba mais...
Segunda Vinda
... Saiba mais...
Revistas________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Atualizações
Twitter
Blogger

Downloads
Folhetos
Literaturas
Revistas
Vídeos
A Edição para iPad

Mensagens e Artigos
Temas Escatológicos
de A a Z
Frases Escatológicas

Nossas Crenças
Em que Cremos
Estatuto de Crença do Fim dos Tempos
Religiao x Evangelho
Glossário

Sobre nós
Quem Somos
Nossos Autores
Editorial
Liberdade de Expressão

Revista Cristã
Última Chamada
Todos os direitos reservados.

Contatos
Contribuições e Anúncios
Contato

...Quem Somos..... Artigos .....Literaturas..... Revistas .....Fale Conosco ..... Home

Diário Escatológico_________________________________________

 

"Há um dogmatismo muito forte por parte dos ensinadores religiosos quando dizem que os animais não possuem alma ou espírito. De acordo com essa miserável teoria, os animais não teriam transcendência para além desta vida - ou uma ressurreição. Tal pensamento é de uma pobreza intelectual e espiritual muito grande. O que tem maior peso nessa discussão é se um animal possui consciência de si mesmo, um "eu" interior, ainda que rudimentar, conforme diz o escritor C. S. Lewis. Uma vez que é fato científico que os animais superiores possuem um "eu" real, embora, talvez seja rudimentar, fica certo que o destino deles além desta vida não pode ser descartado e, como disse Lewis mais uma vez: “exige uma consideração mais profunda”. Os demais seres menores, como insetos, baratas, formigas, borboletas etc., embora possam ter sistemas de comunicação entre si, olhos, cérebros e uma rotina diária de vida, fica difícil discernir o que é esse mistério da vida. Teríamos que estar no lugar deles para saber o que é ser um inseto. A única coisa que tenho certeza sobre esses seres menores é o fato de que a natureza é uma teofania que reflete misteriosamente a face de Deus e, no final das contas, toda a criação irá convergir para Cristo (Efésios 1:10)”.   

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Assim como na política temos o chamado "centrão" - que são aqueles que supostamente não possuem nenhuma orientação ideológica, seja de direita ou de esquerda - na escatologia bíblica temos agora aqueles que acham que estão na vantagem em achar que Futurismo e Preterismo sejam dois extremos. Tenho notado que o problema continua o mesmo, ou seja, esses crentes continuam sem estudar o lado oposto da moeda, no caso, o Preterismo. No fundo no fundo vejo que a tendência de muitos crentes é a de não querer largar a fantasia futurista".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"2 Timóteo 3:12 ► "De fato, todas as pessoas que almejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidas". Este versículo contradiz o otimismo histórico do Pós-milenismo? De maneira alguma! Estamos diante de um versículo, o qual chamo de "condicional", pois no mesmo da a entender que vai depender da quantia de cristãos - maioria ou não, que há no mundo - que decidirá se vai haver perseguição ou não. Mesmo que a maioria esmagadora de cristãos nominais sofra pressão de uma minoria, na verdade, a Igreja sempre triunfará".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Faz alguns dias que acessei o site de uma faculdade de teologia famosa de minha cidade natal. Meu deu uma ojeriza ao ler os textos do site, muitos deles contaminados com frases de ideologias socialistas-comunistas. É mais lamentável ainda ver que professores de teologia estão se enveredando por caminhos da esquerda, contaminando seus alunos. O certo mesmo é estudar teologia pelo lado de fora da academia, como autodidata, sempre procurando pelo contraditório. Ao contrário de muitos professores de teologia, eu apoio o atual governo Bolsonaro. Apoio o ministro Sérgio Moro e todos os outros ministros. Este governo de fato não é fascista, nem homofóbico e muito menos misógino. Eu não acredito na mídia, mas prefiro acreditar naquilo que os livros dizem. Agradeço a Deus pela vida do filósofo Olavo de Carvalho; creio que Deus levantou esse homem para fazer uma revolução em nosso tempo. Do contrário, não saberíamos o que estava se passando com esta nação. O Brasil de fato tomou um rumo bem diferente de tudo o que já se viu. Seremos a potência de amanhã. A Deus toda a Glória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo!"

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Alguém reclamou que eu estou errado em apoiar o governo Bolsonaro, mesmo porque sou editor de uma revista cristã. Veja o que a Bíblia diz:

   “Respeitem todas as pessoas... temam a Deus e respeitem o Imperador”.
                                                                                                  - 1ª Pedro 2:17

   Sujeitai-vos a toda instituição humana por causa do Senhor, quer seja ao rei, como soberano, quer às autoridades, como enviadas por ele...
                                                                                           - 1ª Pedro 2:13-14

   Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.
                                                                                          - Mateus 22:21

   Teme ao Senhor, filho meu, e ao rei e não te associes com os revoltosos.
                                                                                         – Provérbios 24:21

Eu poderia citar dezenas de outros versículos bíblicos, mas digo uma coisa: eu apoio o atual governo justamente porque não acredito na grande mídia e estou vendo o que está acontecendo. Vivo de REALIDADE, não de fake News. Nunca um governo foi tão atacado pelos grandes meios de comunicação. Isto por si só prova que nosso presidente está no caminho certo. Se você acredita na grande mídia, saiba que a mesma também difama a sua fé em Cristo".  

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Depois de anos de reflexões e estudos, não tenho mais dúvidas de que a escatologia pessimista dos Evangélicos migrou da ficção para a idolatria. Questione a veracidade da interpretação sobre o Anticristo e a Grande Tribulação que você sentirá na pele o que é ter muitos inimigos. A atual situação da escatologia evangélica é a maior prova da falta da nobreza dos bereanos (Atos 17:11). Quem ainda estiver aberto para uma crítica construtiva, por favor, ouça!"

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"O Preterismo não pode ser abraçado sem uma dose de Idealismo. No Preterismo temos o cumprimento do Apocalipse no tempo da Igreja primitiva, ao passo que no Idealismo temos as profecias apocalípticas como arquétipos da luta entre o bem e o mal no decorrer da história. Sendo assim, em todas as épocas teremos os anticristos, as bestas, as meretrizes, as perseguições e as resistências e vitórias do povo de Deus. Acrescente a tudo isto uma dose de Pós-milenismo para que possas observar um progresso otimista do evangelho que avança no decorrer da história da humanidade. No final das contas, todas as eras e controvérsias da humanidade terminam bem, pois tudo converge a Cristo".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“A mulher de Jó disse: “Amaldiçoa a Deus, e morre” (Jó 2:9). Esta sem dúvida é uma forma primitiva de “escapismo” pronunciada desde cedo na humanidade. Além do suicídio, o escapismo vem com o nome moderno de “eutanásia” ou “arrebatamento”. O escapismo, seja qual for, não produz a Glória de Deus e nem o aperfeiçoamento da humanidade. Por isto, o patriarca Jó sabiamente repreendeu sua esposa: “Como fala qualquer doida, falas tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal?” (Jó 2:10). E observem o fim que Jó teve: “E assim abençoou o Senhor o último estado de Jó, mais do que o primeiro... Então morreu Jó, velho e farto de dias” (Jó 42:12, 17). Portanto, resistamos aos “escapismos” da vida, seja o suicídio, a eutanásia ou o arrebatamento. Precisamos ser perseverantes e inconformados com o mal. A cura com certeza virá!”

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"A minha ideologia para ajudar na construção de um mundo melhor não envolve um atrelamento estatal para decidir as coisas por decreto. Creio que a Boa Nova do Evangelho, em seu sentido completo, sentido este que envolve dizer que o fim do mundo não está logo ali na esquina, trará o ânimo necessário para fazer com que pessoas de todos os setores se envolvam como militantes do Reino de Deus - tanto dentro como fora do governo. Assim, o jornalista, o médico, o advogado, o político, o sacerdote, o pastor e demais pessoas de quaisquer áreas, contribuirão subversivamente para a conquista definitiva de todas as nações da Terra. Isto começa em nosso contexto local e vai em direção ao mundo inteiro. O principal é que a ideia de fim dos tempos não esteja presente em nossa escatologia, haja vista que os "últimos dias" descritos no Novo Testamento era em referência ao fim definitivo da era judaica no ano 70 d.C.".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"No mundo físico temos a tendência de vivermos em expansão, distante uns dos outros. É por isto que se diz que o Universo está em constante expansão. No mundo espiritual, a questão do espaço é diminuída. Enquanto que no domínio físico temos a tendência de nos espalhar, no domínio espiritual estamos mais juntos uns dos outros e concentrados em Deus. É por isto que o tempo no mundo espiritual - o qual chamamos de "eviternidade" - é vivenciado com muito maior intensidade do que no tempo físico. Por sermos criaturas finitas, não creio que teremos acesso a eternidade, pois somente Deus tem acesso ao não-tempo e num só golpe de vista tem todo o passado e o futuro diante dele. Mas, assim como as criaturas angelicais, teremos acesso a eviternidade - que creio ser uma forma de tempo "espiralada" ao invés de ser representada por uma linha horizontal, como o tempo fisico o é".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

   “Para quem ainda insiste que as nações de Tubal, Meseque e Togarma descritas em Ezequiel 38-39 seria uma referência a nações modernas que atacarão Israel na Grande Tribulação, deve primeiramente notar que o profeta descreve o mundo de seu tempo, e não o nosso mundo moderno. A prova disso é que o mesmo profeta descreve o comércio que estava ocorrendo entre as várias nações de seu tempo. As nações de Tubal, Meseque e Togarma são mencionadas fazendo comércio com Tiro (Ezequiel 27:12-16, 18). Assim, claramente podemos ver que o profeta Ezequiel não estava descrevendo nosso mundo moderno, mas estava descrevendo o mundo de seu tempo. Como disse Gary DeMar: ‘Você não precisa ser um estudioso da Bíblia para descobrir isso. Está tudo nas páginas das Escrituras’”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Eu falei que os primeiros discípulos no contexto de Mateus 24:1-3 não tinham uma real noção sobre a Segunda Vinda de Cristo, pois eles nem mesmo entendiam que a missão de Jesus era morrer na cruz, ressuscitar e ascender ao Céu para - depois de muito tempo - vir novamente julgar os vivos e os mortos. Um pastor entendeu errado a minha colocação dizendo que o evangelho de Mateus foi escrito depois de algumas das cartas de Paulo, em um contexto em que os primeiros cristãos já tinham uma escatologia desenvolvida sobre a Segunda Vinda de Cristo e, segundo o que entendi desse raciocínio, Mateus 24 só pode estar falando da Segunda Vinda. O problema é que eu disse que eram os doze discípulos que não tinham uma escatologia formada sobre a Segunda Vinda, não os cristãos que vieram mais tarde. Portanto, querer interpretar Mateus 24 como sendo sobre a Segunda Vinda de Cristo só porque Mateus teria escrito seu evangelho muito mais tarde, em um contexto em que tal assunto já estava desenvolvido, é ignorar o contexto e o público original a quem Jesus se dirigiu primeiro”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org  

"O diploma nada mais é que uma autorização para você exercer uma determinada função, seja ela de médico, advogado, engenheiro etc. É estranho que grande parte do conhecimento genial humano foi produzido por pessoas autodidatas, sem serem diplomadas. É mais estranho ainda que as universidades que foram uma invenção cristã, agora, essas mesmas esferas do conhecimento se voltem contra a Fé Cristã. Lamentavelmente, as universidades tomaram posse do monopólio do conhecimento. A coisa chega a tal nível que daqui a pouco até para ser um poeta você terá que ter um diploma. Mataram a criatividade! É por isto que hoje não temos grandes pensadores como Santo Agostinho, São Tomás de Aquino etc. É por isto que mantenho a reputação de não querer um diploma cedido, as vezes, por alguém mais burro do que eu".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"A humanidade desde o começo tem tantas histórias, tantos detalhes, que tudo chega ao nível dos milhões e milhões e bilhões de histórias que não conhecemos. É por isto que os segredos do Juízo Final é maior que o próprio Universo".
 
César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Uma vez que o ser humano foi criado a imagem e semelhança de Deus, eu não  posso conceber que o mesmo seja tão limitado como querem os mortalistas. O espírito do ser humano não é apenas um "fôlego" ou "sopro" que o faz alma vivente. A parte espiritual do ser humano de fato sobrevive a morte do corpo. A alma e o espírito é tão imaterial quanto são os anjos. A doutrina dos que negam a imortalidade da alma é semelhante a doutrina dos ateus".
 
César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Virou frase comum dizer que ninguém voltou da morte para dizer como é a vida além-túmulo. O problema é que esse pensamento ignora a ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo. Os detalhes depois da ressurreição de Cristo nos dão toda a informação necessária sobre como será a vida além-túmulo. Depois de ressurreto, o corpo de Jesus continuou sendo de carne e osso e ao mesmo podia atravessar paredes, desaparecer e aparecer onde quisesse, desafiando assim as limitações do espaço-tempo. Sem contar que com esse corpo, Cristo podia comer, beber e ir para outra dimensão. Os demais pormenores sobre a vida além-túmulo é questão de como será o cenário, ou sobre se haverá plantas, animais, edificações etc. Esses pormenores não nos foram revelados, mas o mais importante é o essencial, ou seja, estaremos em estado de imortalidade ao lado do Senhor".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Quando Jesus fala acerca da blasfêmia contra o Espírito Santo nos evangelhos, é possível notar que Ele não disse que os seus inimigos da cúpula judaica já haviam chegado a tal ponto, mesmo porque em sua rejeição contra Cristo, os mestres judeus estavam em estado de ignorância, pois eles não conheciam claramente a natureza divina e humana de Cristo (ou o fato de Jesus ser Deus). De fato, este era o ponto mais difícil para um judeu entender. É por isto que os apostolos disseram: "E agora, irmãos, eu sei que o fizestes por ignorância, como também as vossas autoridades..." (Atos 3:15-17). E o próprio Jesus disse: "Pai, perdoa-lhes, porque eles não sabem o que estão fazendo" (Lucas 23:34)".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Na minha convicta missão em estudar e desenvolver o estudo do Preterismo e do Pós-milenismo aqui no Brasil, realmente me faz pensar que Deus me deu o trabalho mais difícil no Seu Reino. Pois, nessa luta contra o futurismo pessimista, estou ao lado de tantos outros lutando contra um super Gigante enraizado até o mais profundo da alma evangélica. Se não bastasse a dureza de coração e a falta da nobreza dos bereanos por parte de grande parte dos evangélicos (Atos 17:11); os católicos, os ateus e a mídia em geral também foram contaminados pelas ideias pessimistas do terrível Dispensacionalismo. Eu sei que a mudança é lenta, mas temo que muitos da atual geração morrerão no deserto sem conhecerem as primeiras bênçãos da Canaã que este mundo há de ser. Assim como a teologia da prosperidade foi uma ameaça ao Socialismo que iria ser implantado no Brasil, o Preterismo e o Pós-milenismo tambem ganhará novos inimigos entre os partidos de esquerda".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“De acordo com as crenças dos ateus, nós, os seres humanos, somos apenas máquinas de carne e ossos e nossos cérebros são computadores de carne que processam pensamentos através de redes de neurônios num processo com substâncias químicas. Nesse tipo de ideologia não temos espaço para uma alma ou espirito imaterial. Embora os cristãos sejam contra esse tipo de pensamento, curiosamente, muitos cristãos pensam o mesmo acerca dos animais. Para eles, um animal é simplesmente uma máquina de carne e osso que não tem a parte espiritual regendo seu corpo. Isto me faz citar James J. Gibson, que foi um professor de psicologia da Universidade de Cornell que dedicou cinquenta anos de sua vida ao estudo de como nós, os seres humanos, percebemos o mundo ao nosso redor. Para ele, a noção de que “o olho envia, o nervo transmite, e a mente ou o espírito recebem” precisa ser radicalmente modificada. Sendo assim, o “ato da percepção deve ser concebido como um ato não do corpo nem da mente nem de ambos em operação coordenada, mas de todo o composto mente-corpo, concebido holisticamente como uma única entidade”, como ressalta o cientista Wolfgang Smith. Assim, creio que uma vez que os animais possuem olhos e cérebros, é de se supor que, assim como os seres humanos, eles percebem a realidade “holisticamente como uma única entidade”. Portanto, há algo a mais nos animais. Temos muito o que descobrir antes emitirmos opiniões simplistas”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Estamos muito acostumados com a frase de Eclesiastes 12:7, que diz que "o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu", e assim, acreditamos que só o ser humano tem transcendência. O fato é que nos esquecemos que o "bom propósito" que Deus "estabeleceu em Cristo" é "de fazer convergir em Cristo todas as coisas, celestiais ou terrenas, na dispensação da plenitude dos tempos" (Efesios 1:10). Sendo assim, toda as coisas criadas, a natureza em geral, caminha para um mesmo ponto, ou seja, para o próprio Cristo. É por isto que creio que os animais que por aqui viveram estarão na vida eterna ao lado de todos nós, bem como teremos a continuidade da criação física em geral mergulhada no sobrenatural de Deus".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Os que adoram a escatologia pessimista dos evangélicos, adventistas e Testemunhas de Jeová são aqueles que têm projetos de poder politico a longo prazo. Entre os que têm projetos de poder a longo prazo destacam-se os socialistas-comunistas".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Há mais ou menos vinte e cinco anos, um pastor da igreja adventista me disse com aquele "ar de autoridade" de fonte primária que, os judeus, nunca acreditaram na imortalidade da alma. O problema é que tal pastor não contou a história toda, ou seja, que dentro do judaísmo existem correntes interpretativas diferentes. Eu já vi rabinos muito estudiosos do hebraico que acreditam na imortalidade da alma e provam seus pontos de vista. Essa história de usar o judaísmo como fonte de autoridade não leva em consideração o todo, mas somente as partes. Por outro lado, eu também não sou obrigado em agradar aos judeus em relação a doutrina da Trindade. Quando Jesus, citando a Septuaginta (Êxodo 3:14) disse: "antes que Abraão existisse, Eu Sou”, foi ali a primeira rejeição daquilo que de fato o Mestre é. E o pior de tudo, ainda tem "filósofo" Tupiniquim querendo relativizar a frase "Eu Sou" como se fosse um "eu sou" que qualquer pessoa fala no dia a dia. Os judeus do primeiro século, sabidos como eram, entenderam muito bem o que muitos hoje não querem entender. A tentativa de apedrejamento contra Jesus foi inevitável. Em nosso tempo moderno muitos judeus estudiosos entendem perfeitamente as reivindicações da Divindade de Cristo".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus”. - João 1:1

“Este é sem dúvida o texto mais explícito sobre a Trindade. No original grego dessa passagem, o apóstolo João teve o cuidado de colocar o artigo definido “o” na primeira ocorrência da palavra “Deus”, para fazer uma clara distinção entre as Pessoas do Pai e o Espirito Santo em relação à Pessoa do Verbo (Cristo). Na segunda ocorrência da palavra “Deus”, há ausência do artigo definido “o”, pois se João tivesse escrito a frase “o Deus”, teríamos a indicação de que não há distinção entre a Pessoa do Verbo e as demais Pessoas da Trindade. Não haveria Trindade e Deus seria uma só Pessoa. Por último, se João realmente quisesse dizer que o Verbo é “um deus” – como insistem as Testemunhas de Jeová – ele simplesmente teria usado a palavra grega theiós, que significa “um deus”, “um ser divino”. Pelo contrário, João usa Theós (Deus), ao invés de theiós, mostrando assim que o Verbo e o Pai e o Espírito Santo, embora três Pessoas, ao mesmo tempo formam um só Deus”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org  

“E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para que conheçamos ao Verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna”. – 1ª João 5:20

“Este é outro texto bem claro sobre a Divindade de Cristo. Quando João usa a palavra “este” – que é um pronome demonstrativo próximo – pela regra da gramática o fato das palavras “em seu Filho Jesus Cristo” estar perto do fim da frase, indica claramente que Jesus Cristo é o “verdadeiro Deus”. As lideranças das Testemunhas de Jeová traduziram erroneamente a palavra grega houtos (este) para indicar que o Pai, referido no início da frase, seria só Ele o verdadeiro Deus, excluindo assim Cristo deste título. A Bíblia das Testemunhas de Jeová traduz 1ª João 5:20 usando a palavra “essa” - que é um pronome demonstrativo distante: “Esse é o verdadeiro Deus e a vida eterna”. A palavra grega houtos aparece no Novo Testamento nas variações hauté, touto. É a mesma palavra que encontramos em Mateus 24:34 que diz: “não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam”. “Esta geração” indica que a profecia seria cumprida na geração dos discípulos, e não em uma geração futura que seria “aquela” ou “essa”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Quem é incapaz de aceitar o Mistério da Trindade, só porque é além do entendimento humano, também não está apto para aceitar nenhum outro mistério do Universo. Mesmo os cientistas da física quântica sabem que há muitos mistérios que eles não conseguem entender, mas, mesmo assim, aceitam pela fé aquilo que eles estudam. Os religiosos que negam a Trindade estão perdendo até para cientista ateu".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Em meus trinta anos de caminhada no Evangelho, eu nunca vi uma ideia teológica tão odiada, rechaçada, amordaçada, perseguida e ignorada como é o caso do Preterismo. Pode parecer exagero meu, mas eu posso reunir material suficiente em áudio, vídeo e escrito que prova que os religiosos resistem ao Preterismo com as mais variadas desculpas. Lamentavelmente, os crentes perderam a visão celestial de Jesus a destra de Deus, para esperar o Anticristo; trocaram a possibilidade de um tempo de vida melhor para esperar uma Grande Tribulação horripilante; por fim, não querem estar entre os pecadores para escapar deste mundo via Arrebatamento".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"O mortalista que nega a sobrevivência da alma fora do corpo faz CORO com o ateu. Como pode o Criador sendo Um Ser espiritual nos criar sem a parte espiritual que pelo menos sobrevive a morte do corpo? É necessário sempre associar a crença dos mortalistas a mesma crença dos ateus, porque eles nunca deixaram de associar a crença na imortalidade da Alma com os espíritas. Senhores mortalistas, o vosso Deus é muito limitado".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Hoje um pássaro, filhote de rolinha, morreu em minhas mãos. Ele estava agonizando e seus olhos me mostravam despedida. Orei sobre ele dizendo que o Criador te receba. Fica a lição; esse animal se foi, mas a criação converge para Cristo. A minha esperança se estende a toda a criação que se passou por aqui e além. Cristo resgata tudo. A vida criada por Deus não descartável".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

Porque os teólogos têm tanta dificuldade de enxergar a ressurreição dos animais na bíblia? É porque eles têm a mesma dificuldade que teríamos de enxergar a ressurreição neste texto de Mateus 22.31-32:

"E, acerca da ressurreição dos mortos, não tendes lido o que Deus vos declarou, dizendo: Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó? Ora, Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos".

Quem de nós poderia sequer imaginar que o fato de Deus ser o Deus de Abraão, Isaque e Jacó poderia ser uma referência a ressurreição dos mortos? Tão somente Jesus é capaz de tamanha perspicácia interpretativa! E quantas outras partes da Bíblia estão assim como que "codificadas"? É por isto que teólogos perspicazes como C. S. Lewis, Hank Hanegraaf e Peter Kreeft, sem as amarras religiosas, foram capazes de enxergar a transcendência e a ressurreição de todos os animais. Muita coisa se tornou clara para mim com esses estudos".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Antes eu via o livro do Apocalipse como um "filme de terror" que inevitavelmente teríamos que "assistir" no futuro. Eu via a vinda do Senhor como um "puxa tapete" e a vinda do Anticristo como outra cilada profética, para nos pegar. Hoje entendo que o Apocalipse é um livro de motivação para lutar contra o mal até o fim da vida. A luta de cada um de nós não acabou. Teremos que lutar e resistir até o fim. O Apocalipse é um livro de superação. Esta é a grande mensagem do Apocalipse. O Senhor Jesus Cristo não virá nos salvar em um arrebatamento secreto, mas nos salvará dentro das tribulações e, por fim, depois de uma vida cansada de tantas lutas, receberemos a herança eterna. A história da humanidade é como a vida do patriarca Jó que, após ser abençoado outra vez, tem um final feliz: “Então morreu Jó, velho e farto de dias” (Jó 42:17)".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Está me dando uma ojeriza de ver crentes tentando citar as Escrituras em hebraico o tempo todo. Citar alguma palavra hebraica ou grega eventualmente é uma coisa, mas ficar chamando os livros da bíblia e os personagens bíblicos pelos nomes originais deixa as pessoas sem entender nada. Eu sou gentio. Sou judeu pela circuncisão do coração. Vivo na era messiânica, nos novos céus e terra. Chega de retroceder. Quem quiser ir para o judaísmo que volte para a apostasia".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Quando Isaías 11:6-7 diz que “o lobo habitará com o cordeiro, e o leopardo se deitará junto ao cabrito; o bezerro, o leão novo e o animal cevado andarão juntos, e um pequenino os guiará”, temos aqui a imagem simbólica de como o Reino de Deus atingirá os corações de todos os homens, pois os seres humanos são muitas vezes na Bíblia comparados aos animais. Há pessoas que são como “cães” ou “porcos”, “serpentes” ou “escorpiões”, “bodes” ou “cabritos” e “ovelhas” ou “bezerros”. A promessa que temos no capítulo 11 de Isaías é relativa ao tempo em que vivemos, ainda nesta era onde imperam o pecado e a morte. Os seres humanos serão transformados em novas criaturas quando “a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar” (Isaías 11:9). É claro que não deixa de ser verdade que temos também nesse texto de Isaías uma prefiguração de como será a natureza em geral, pois “a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus” (Romanos 8:21)”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito.
Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho”. (Lucas 24:37, 39)

Diante de tantas controvérsias em torno do assunto da imortalidade da alma e do espirito, na verdade, são os detalhes pequeninos na Bíblia que fecham a questão. Isto é verdade nesse texto de Lucas. O fato dos discípulos acharem que estavam vendo um espirito, que é uma entidade inteligente consciente de si mesma, prova que eles não acreditavam que o espirito humano fosse apenas um sopro ou fôlego, como querem os mortalistas. E o próprio Jesus não repreende os discípulos sobre a concepção deles acerca do que é um espirito. Ele só mostra a eles que estava ali mais do que um espirito puro desencarnado, mas estava Ele mesmo ressuscitado fisicamente. O texto de Lucas 24:37, 39 mata de vez o argumento daqueles que são contra a sobrevivência da alma e do espirito após a morte”.   

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“A interpretação dispensacionalista de Ezequiel 38:2 sobre o “príncipe de Rôs, de Meseque e Tubal”, como sendo uma referência a Rússia moderna - e isto baseado na semelhança de pronúncia entre Rôs e Rússia – é tão antiga na sua forma quanto foi influenciada pelo clima geopolítico de cada tempo. Os tradutores da Septuaginta (tradução do Antigo Testamento hebraico para o grego) foram influenciados na tradução de Rôs em Ezequiel 38:2 por causa da ascensão de Roma. Eusébio de Cesareia parece ter sido o primeiro pai da igreja a sugerir a identificação de Gogue como o príncipe de “Ros” que, para ele, significava Império Romano. O famoso lexicografo Wilhelm Gesenius (muito citado por dispensacionalistas) estava ensinando na Prússia, quando a mesma foi impactada pelo poderio militar Russo e seus objetivos expansionistas. Em todos os casos citados acima, a regra da Escritura interpretar a própria Escritura, foi ignorada”.

César  Francisco Raymundo, editor da www.revisatcrista.org  

"O pessimismo escatológico por parte de muitos pastores em relação ao futuro da humanidade, não fica confinado apenas na ideia de que os crentes devem cruzar os braços porque não é possível salvar mais este mundo. Muitos pastores também impõe em suas ovelhas o jugo do pessimismo individual. A pessoa acaba vivendo na incerteza se vai ser arrebatada ou não. O crente fica entre a cruz e a espada, entre o anticristo e o arrebatamento. É por isto que o medo e o terror tomam conta dos corações e muita gente está oprimida no meio evangélico. Se não bastasse a incerteza individual, há também a incerteza se algum ente querido ou amigo irá ser arrebatado ou não. A vinda de Jesus que era para ser uma apresentação dEle ao mundo, trazendo paz e segurança, acaba sendo uma expectativa de muito terror e destruição".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Eu não sou irrefutável. Sou ser humano. Sujeito a erros e a equívocos. Todavia, o Senhor Jesus me deu sabedoria para deixar um pequenino legado. Até agora produzi perto de vinte mil páginas de estudo, divididas em quase cento e cinquenta e-books e seiscentos artigos. Foi uma década dedicada a intensos estudos, às vezes sendo privado de fins de semana e lazer. O que mais me espanta em tudo isso é ver a petulância de certos crentes que tentam refutar meu ensino preterista da noite para o dia, como se fossem grandes especialistas daquilo que não querem entender. Vocês são muito ofensivos! Mas nosso Senhor não prometeu flores nessa luta, pois teremos que enfrentar até mesmo quem mata em Nome de Deus. A esses crentes digo: vocês não são sérios! Vocês estão a anos luz da nobreza dos bereanos (Atos 17:11)! O romance de vocês é pelo Anticristo. A Grande Tribulação é o que vocês desejam aos filhos dos outros. O Arrebatamento é o vosso constante desejo para não trabalhar em favor do Evangelho de Cristo".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Perguntaram para mim o que eu faria se fosse Deus. Enquanto uns iriam resolver o problema da fome e da miséria, eu digo: faria as mesmas coisas que Deus faz atualmente. Digo isto porque se levarmos em consideração que a sabedoria divina é infinita, logo, pergunto: o que eu poderia fazer a mais do que Deus faz hoje?"

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"É fato notório que uma corrente escatológica pode ser de grande oposição para destruir qualquer projeto de poder ditadorial em um país. A gente conhece quando uma corrente escatológica favorece o mal, quando a mesma leva as pessoas a não mais lutar pela reconstrução deste mundo caído. Entre essas correntes escatológicas que favorecem o mal, temos o Dispensacionalismo em principal destaque, seguido pelo Amilenismo. Sei da boa intenção de muitos cristãos dispensacionalistas e amilenistas, mas é preciso reconhecer o pecado de se crer em um ensinamento errado que induz a pregação da Boa Nova do Evangelho de forma parcial. A duas correntes escatológicas que realmente pregam a Boa Nova de Cristo integralmente são o Preterismo Parcial e o Pós-milenismo".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Você já pensou na possibilidade de Deus ser mau? Se você pensou nisto é porque existe uma Honestidade Divina que te permite questionar tudo. Se a gente estivesse num mundo perfeito sem a presença do mal, na verdade, estaríamos sob o monopólio do bem. Como saberíamos se o bem é o certo? O fato é que a presença do mal no mundo e o constante questionamento da verdade é um sinal da Honestidade Divina. Se Deus fosse um ditador cósmico Ele jamais permitiria ser questionado o tempo todo. Por isto tenho razões para confiar em Deus! Talvez essa liberdade para questionar a Deus seja uma explicação do mistério da presença do mal no mundo".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Nestes últimos dias eu andei fazendo uma revisão da história das epidemias do mundo. Quando eu vi que em certos momentos da história 10 mil pessoas por semana eram mortas por causa de epidemias ou o caso da gripe espanhola de 1918 que contaminou 500 milhões de pessoas e matou entre 50 milhoes e 100 milhões de pessoas num curto espaço de dois anos, só posso concluir uma coisa: o alarmismo que nós estamos vivendo hoje é pueril e foi forjado por motivos financeiros e de poder. Não não precisava tanto alarde como teve".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Na minha modesta opinião o pastor Augustus Nicodemus Lopes é um desinformante escatológico. Dizer que a "Igreja ficará à beira da extinção durante grande tribulação" é o suficiente para quem ainda tem sanidade mental não ouvir um homem desses. Acredito que pela fama e posição a vida dele é muito melhor que a maioria dos brasileiros e, por isto, o pessimismo futurista pregado por ele não tem efeito para si próprio. Vamos boicotar pastores pessimistas escatológicos!"

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Nestes últimos dias de tensões que estamos vivendo, tenho trazido à memória muito daquilo que tenho aprendido da história nos últimos anos. Tenho uma coleção de citações de tragédias escritas pelos historiadores Suetonio, Flávio Josefo entre outros. Adquiri recentemente o livro intitulado "O último dia do mundo - Fúria, ruína e razão no grande terremoto de Lisboa de 1755". Esse livro retrata como a maior tragédia da história de Portugal sacudiu os alicerces do catolicismo da época. Essa tragédia tão fatal deixou destruição, incêndios, doenças e mortes para trás. Mas o que mais chamou atenção é que num ambiente tão religioso cono aquele a existência de Deus é a fé foram duramente questionadas. Depois, mais tarde em 1918, tivemos a gripe espanhola que matou perto de 100 milhões de pessoas em todo o mundo. Qual é a lição que tiro de tudo isso? É que enquanto muitos atualmente olham para o futuro sem esperança, eu resolvi olhar para a história, pois a mesma me mostra sem equívocos que a coisa já foi terrivelmente muito pior e a humanidade superou tudo. Pense nisto!"

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“A doutrina do Arrebatamento Secreto acaba gerando em muitos crentes um amor exagerado aos próprios interesses e uma desconsideração aos demais seres humanos. O Arrebatamento Secreto é uma ânsia que produz egoísmo, ao passo que a ressurreição é uma esperança diante da inevitalidade da morte física. A nossa esperança não é a fuga deste mundo, mas o nascer de um ‘dia eterno’ que todos pela fé em Cristo poderão usufruir. A esperança da ressurreição nos faz trabalhar. O Arrebatamento Secreto gera ansiedade e cruzamento de braços em relação a salvação do mundo”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org   

"Tenho visto alguns crentes apocalipticos atualmente se borrando de medo do que possa estar por vir. É bom que isso aconteça para ver se largam de vez esse romance pela Grande Tribulação, Anticristo e Arrebatamento Secreto da Igreja. Eu sempre insisto que tudo isso da parte deles não passa de teoria. Quando supostamente a coisa parece que vai acontecer, eles são os primeiros a se desesperarem".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Na doutrina do Arrebatamento Secreto se diz que os santos de todas as épocas serão ressuscitados e os que estiverem vivos serão arrebatados e, na sequência, a Terra passa por sete anos de Grande Tribulação sob o governo do Anticristo. O grande problema é que o texto de Romanos 8:19-23 desmente tudo isso numa tacada só. O raciocínio é muito simples: se toda a criação que “geme e suporta angústias até agora” “será redimida do cativeiro da corrupção” quando houver “a liberdade da glória dos filhos de Deus” (“a redenção do nosso corpo”), como poderá ter mais sete anos de terríveis angustias depois da Ressurreição e do Arrebatamento Secreto? Não há meio termo, ou a vinda de Cristo dá um basta no mal ressuscitando toda a criação, ou temos uma ressurreição e transformação meia boca”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"...e a ciência se multiplicará".
                                            (Daniel 12:4)

Este versículo iludiu a muitos com o suposto significado de ser uma profecia sobre o avanço da ciência moderna. A palavra "ciência" que apenas significa "conhecimento" é uma referência sobre como a Palavra de Deus seria revelada depois de Cristo. Os escritos do Novo Testamento formam um testemunho profundo de como a obscuridade do Antigo Testamento foi revelada em profundidade. Esse aumento da ciência bíblica aconteceu nos "últimos dias" de Israel, no primeiro século da era cristã. As setenta semanas de Daniel - junto a multiplicação da ciência - refere-se única e exclusivamente ao povo judeu e teve seu cumprimento integral até o ano 70 d.C. Embora as setenta semanas de Daniel estão cumpridas, por outro lado a ciência bíblica nunca parou de se multiplicar, pois nesses últimos dois mil anos tem se desenvolvido assustadoramente. Nunca tivemos tantas revelações das grandezas de Deus através do desenvolvimento teológico e filosófico das Escrituras".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Como posso manter o otimismo histórico da Vitória do Reino de Deus neste mundo diante de tantas coisas ruins que estão acontecendo? Quem faz uma pergunta dessas nunca analisou a fundo a parábola do grão de mostarda (Mateus 13:31-32). O Reino de Deus que é "semelhante ao grão de mostarda" para poder atingir a plenitude de "a maior das plantas" passa por processo semelhante ao da natureza, ou seja, uma planta desde o seu plantio até a fase adulta passa anos pelas quatro estações, enfrenta secas, tempestades, ervas daninhas e todo tipo de perigo. No entanto, quando atinge a plenitude, sua sombra protege a terra do sol "de sorte que vêm as aves do céu, e se aninham nos seus ramos". A melhora do mundo através do Reino de Deus tem acontecido assim. A história atesta esse progresso".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Nestes dias de quarentena fui atrás da pesquisa histórica sobre as epidemias.

Procurei por médicos youtubers que eu já conhecia e confiava.

Me concentrei no bom senso e no raciocínio lógico.

Por último, a imprensa para mim tornou-se motivo de piada. Para ela que na minha mente já agonizava doente há muito tempo, só pude dizer: "A imprensa morreu!"

A vida vai continuar e vamos nos recuperar. A imprensa morreu!

A história reviveu, mas a imprensa morreu!

Os médicos sérios serão louvados, a verdade triunfará. Mas a imprensa morreu!

Na minha vida, em particular, a imprensa nunca mais será ressuscitada.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Um advogado socialista me disse que Jesus foi um comunista. O problema é que o Senhor Jesus Cristo nunca ensinou que o poder estatal deveria sequestrar os bens das pessoas para repartir igualmente a todos. Todo bem feito deve vir de um coração voluntário regenerado pelo Espírito Santo. O problema não é a luta de classes, mas é a maldade que está presente em cada um de nós. Quando Jesus disse “que é difícil entrar um rico no reino dos céus”, os discípulos perguntaram: “Quem poderá pois salvar-se?” (Mateus 19:24-26). Eles mesmos entenderam que quando se trata de bens materiais até os pobres não poderiam ser salvos, pois os mesmos também sofrem com o pecado da avareza. Salvação é pela graça através da fé em Cristo! Ser comunista com o dinheiro dos outros é fácil, quero ver o ilustre advogado praticando seu comunismo começando pela repartição dos próprios bens”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Nunca houve sequer um momento da história do qual poderíamos afirmar que Deus não exerceu Seu reinado. Muito mais agora que Cristo ressuscitou, subiu ao Céu e Reina eternamente. Então, porque as coisas ruins ainda acontecem no mundo? As pessoas assim perguntam porque desconhecem o 'modus operandi' (ou modo de operação) Divino. A forma como Deus Reina é segundo a Sua Soberana vontade, conduzindo o mundo e se relacionando com a liberdade humana. Quem tem um espírito perspicaz vai conseguir ler na história à atuação Divina. No final, tudo está convergindo para um ponto, o próprio Cristo. Pense nisto e descanse em paz!"

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Declaro-vos, pois, que, desde agora, já não me vereis, até que venhais a dizer: Bendito o que vem em nome do Senhor!” (Mateus 23:39)

Estaria Jesus profetizando que Jerusalém permaneceria desolada, até que houvesse uma futura conversão de judeus? Embora muitos entendam assim, não é o que o texto diz. O Senhor estava fazendo uma alusão ao Salmo 118:26, o qual tem conexões com as grandes festas de peregrinos do judaísmo, mais especialmente a festa dos Tabernáculos. Os habitantes de Jerusalém cantavam esse Salmo para os peregrinos que iam para Jerusalém observar os dias das festas do calendário judaico. O contexto de Mateus 23 é sobre a vinda de Jesus em julgamento sobre Jerusalém, que aconteceria ainda naquela geração dos discípulos. O momento em que o Senhor viria em julgamento seria durante um dos três dias de festa de Israel. Foi isso o que realmente aconteceu! Nas Obras de Josefo lemos que o cerco a Jerusalém aconteceu na festa dos pães ázimos, quando os judeus foram subitamente cercados pelo exército romano. Sendo assim, temos a confirmação de que os judeus ‘viram’ a vinda de Jesus em juízo no tempo de um dos três principais dias de festa, em um dos momentos em que era cantado: “Bendito o que vem em nome do Senhor”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Os defensores do Dispensacionalismo e do Futurismo em geral se iludiram com a ideia de que se o Apocalipse foi escrito por volta do ano 96 d.C., logo, as profecias ali descritas teriam que ser cumpridas milhares de anos depois. O que todos ignoram - sendo a pedra no sapato deles - é que o livro de Apocalipse tem quase dez indicações temporais de que seria cumprido no tempo dos primeiros leitores contemporâneos do apóstolo João. Outro problema é que o Apocalipse é uma carta de divórcio da parte de Deus contra Israel. A velha Jerusalém prostituta dá lugar a nova Jerusalém, a Antiga Aliança (céu e terra) dá lugar a um novo céu e uma nova terra. Como explicar essas transições descritas no Apocalipse como acontecendo depois de 96 d.C.? Somente uma escrita antes do ano 70 d.C. justifica o tema do Apocalipse".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Eu já passei por sete presidentes. Mas confesso que nunca vi um presidente ser tão atacado por toda a imprensa, por quase todos os artistas, odiado pela maioria dos políticos e por toda a esquerda e odiado por muitos pastores e teólogos. Realmente, Bolsonaro é um caso único. E é justamente por isso que apoio esse governo. Não tenho político de estimação e no dia que eu tiver que critica-lo, o farei. A minha filosofia parte da realidade e, portanto, não posso negar o que estou vendo diante de meus olhos. Se você não está enxergando a realidade, comece a prestar atenção nos fatos deixando de lado seu mundo imaginário. Pai nosso, ilumine nosso presidente e dê a ele e a nós a paz neste país".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Estamos muito acostumados a falar que epidemias, guerras e rumores de guerras, terremotos e fomes seriam "sinais" da vinda de Cristo. O que os discípulos perguntaram era à respeito do "sinal", e não sobre os "sinais" (Mateus 24:3). E o Senhor respondeu no mesmo tom referindo-se apenas ao "sinal" (Mateus 24:30). As guerras, fomes, epidemias e terremotos descritos em Mateus 24 são apenas previsões de como seria a vida dos primeiros discípulos antes da destruição de Jerusalém nos anos 67-70 d.C. O próprio fato de Jesus dizer para eles não ficarem assustados com esses acontecimentos - que são comuns a todas as épocas - é uma prova de que não indicavam nada a respeito do fim do mundo judaico. O cumprimento integral de Mateus 24 é uma das grandes provas de que Jesus de fato é Deus! O Senhor só retornará quando Seu Reino atingir a plenitude da paz, e não sabemos quando chegará esse tempo (Isaías 9:6-7; Salmos 22:27-31; Atos 3:20-21; 1 Coríntios 15:23-26). As tragédias que acontecem hoje é sinal do curso normal da vida, quer por intervenção da natureza, do homem ou por juízo Divino".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"O uso de estatísticas e gráficos com números astronômicos é um dos grandes erros dos futuristas na interpretação sobre as guerras, epidemias, fomes e terremotos profetizados por Jesus em Mateus 24. Em Seu Sermão Profético o Senhor em nenhum momento usa dados em números para dizer o quão grande ou pequeno seriam os acontecimentos antes da queda de Jerusalém no ano 70 d.C. Quando um futurista apresenta números astronômicos de estatísticas, ele está, na verdade, aumentando o significado simples das palavras de Jesus, transformando-as em ficção hollywoodiana".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

Reflexão de Páscoa

“O ápice da maldade como nunca se viu na história do mundo só foi atingido uma vez, isto é, quando da prisão e morte de nosso Senhor Jesus Cristo. “Mas esta é a hora de vocês e a autoridade da escuridão”, disse Jesus (Lucas 22:53). Os judeus e romanos do primeiro século “mataram o Autor da vida” (Atos 3:15). Ao matar o Autor da vida, judeus e romanos cometeram o crime mais hediondo da história humana. Nenhum crime ou maldade cometida até hoje supera o da morte de Cristo. Seu sofrimento psicológico na cruz foi tal que Ele sentiu a dor do inferno, ou seja, a ausência de Deus: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Mateus 27:46). Mas o fato mais incontestável da história é que Ele ressuscitou no terceiro dia e está vivo eternamente em corpo e alma”.

Boa Páscoa a todos!

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca”. (Apocalipse 3:15,16)

A pior situação que uma pessoa ou um povo pode viver é a de morno. No Brasil, até mesmo a desgraça e o caos acontecem tão lentamente que chegamos ao ponto de nos tornarmos anestesiados. Nesse processo somos cozinhados e minados aos poucos. E, assim, todas as nossas forças para lutar se vão. Por fim, nessa situação, o inimigo pode nos tragar para sempre. Seria melhor que a desgraça e o caos caíssem de vez sobre as nossas cabeças para que as coisas imediatamente fossem resolvidas, ao invés de ficarmos nesse eterno estado de dormência. Acorda Brasil!

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"O chamado povo de Deus tem que parar com essas besteiras sobre conspirações de Iluminatis, maçonaria etc. Vocês pensam que a maçonaria é uma unidade que segue as mesmas regras em todos os lugares do mundo? Jamais! Há uma variedade de maçons. Uns são comunistas/socialistas, outros de direita, alguns são muito religiosos e, ainda outros, gente boa ou má. Não há unidade na maçonaria, como aquela unidade católica em que o Papa seria o cabeça da igreja de Roma. Portanto, não há uma ordem em que a maçonaria conseguiria conspirar para dominar o mundo sozinha. E sei muito bem que algum neurótico vai dizer que sou um desinformante da Nova Ordem Mundial. Vamos parar com essa obsessão em ficar estudando o mal indo atrás de conspirações sem fim. Os cristãos primitivos que fizeram isso, ao estudar as coisas "profundas de satanás" (Apocalipse 2.24), acabaram sendo reprovados pelo senhor Jesus Cristo e apostataram da fé ao se entregarem as doutrinas do gnosticismo. O mesmo acontece hoje".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Nós fomos acostumados a crer que guerras, terremotos, fomes e pestes seriam “sinais” da vinda de Cristo. Mas, quanto mais aprofundarmos nessa matéria, descobriremos que Jesus não trata essas Suas previsões como “sinais”, mas as chama de “coisas” (Mateus 24:6, 33-34). Embora sejam previsões de Cristo que se cumpriram à risca no tempo da Igreja primitiva, num curto período de quarenta anos até o ano 70 d.C., as catástrofes naturais ou humanas fazem parte de toda a história do mundo. Os eventos de nosso tempo nada nos dizem sobre a Segunda Vinda de Cristo, a qual está num futuro desconhecido. O que temos que fazer atualmente é apenas trabalhar para que o Reino de Cristo alcance todo o mundo. E quando isto acontecer, em algum momento o Senhor se manifestará, e encontrará um mundo em paz com maioria esmagadora de cristãos”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org  

"O maior ato idólatra que uma pessoa pode cometer contra Deus é quando ela acredita que o seu bem estar geral depende do Estado com seus governantes. A natureza está aí como prova de que a vida depende exclusivamente de Deus. Sobre Deus é dito:

"Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras o fôlego, morrem, e voltam para o seu pó.

Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra.

A glória do Senhor durará para sempre; o Senhor se alegrará nas suas obras.
- Salmo 104:29-31

Tendo isso em mente nenhum governante irá ocupar o lugar de Deus em nossas vidas. Se toda honra e tributo for dado exclusivamente a Deus por meio de Jesus Cristo, o nosso caos político será resolvido. Precisamos fazer isso coletivamente, não apenas individualmente".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

A ideia de Deus perdoar todo mundo no final das contas, até mesmo o diabo, chama-se "universalismo da salvação". Se Deus fizer isto teria que haver uma recompensa muito grande para aqueles que foram injustiçados pelo mal neste mundo".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"O que muitos não entenderam ainda é que Deus se divorciou da nação de Israel. Isto aconteceu no primeiro século, pelo fato do povo judeu ter rejeitado o Messias, Jesus Cristo. O Senhor Deus não tem mais uma relação especial com uma nação específica num determinado lugar geográfico, no caso, Israel. O verdadeiro povo de Deus atualmente é a Igreja, também conhecida como "o Israel de Deus". A antiga nação de Israel está atualmente no mesmo plano de igualdade com outras Nações. Portanto, o atual povo Judeu não tem nada de especial e nem místico em relação a Deus, muito pelo contrário, eles estão em estado de rebeldia por não aceitarem que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus. Se alguém quer ver na nação de Israel algum sinal, está perdendo o seu tempo. A Nova Jerusalém - que é a Igreja - é a única nação de Deus que de fato tem produzido frutos até hoje conforme garantiu Jesus".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Uma testemunha de Jeová me disse que Mateus capítulo 24 foi cumprido no tempo dos apóstolos, mas, apesar disso, ainda terá um cumprimento maior em nosso futuro. Essa ideia, cujo nome é “duplo cumprimento” da profecia bíblica, não leva em conta que as profecias do Antigo Testamento eram incompletas, ou “sombras” que só encontrariam pleno cumprimento em Cristo. A profecia de Jesus em Mateus 24 é clara ao descrever o ambiente cultural e características do lugar onde seria cumprida. Também há uma clara indicação do tempo do cumprimento, quando o Mestre disse: “Não passará esta geração sem que tudo isto aconteça” (Mateus 24:34). O “duplo cumprimento” da profecia no Novo Testamento é fruto da imaginação fértil dos modernos especuladores proféticos. Se alguém pode imaginar um duplo cumprimento, porque não um triplo, quádruplo, quíntuplo e um número sem fim de cumprimentos?”  

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“A escatologia de uma pessoa só traz esperança e ânimo se estiver baseada em um tripé:

1º - o retorno de Jesus;

2º - a restauração progressiva do Cosmos até o dia desse retorno;

3º - o Apocalipse cumprido no passado.

Na falta de apenas um desses itens, teremos uma escatologia que deixará as pessoas sem esperança. As demais interpretações escatológicas - como o Amilenismo, o Dispensacionalismo e o Historicismo - os quais afirmam que Jesus virá Segunda vez e restaurará tudo, erram em relação ao progresso otimista do mundo até aquele tempo de perfeição. Em resumo, as pessoas ficam sem esperança e inativas. O Preterismo Completo, com sua interpretação de que todas as profecias bíblicas foram cumpridas no passado e que apenas iremos para o Céu depois da morte, erra em acreditar que este mundo na atual condição de pecado e morte continuará existindo para sempre, sem nunca ser redimido. Um preterista completo também acabará perdendo suas energias para lutar por algo melhor em seu tempo de vida. Tenhamos esse tripé escatológico em mente!

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org  

"Me deixa perplexo como os crentes evangélicos ficam com raiva de mim porque digo que não haverá um futuro "homem da iniquidade" que supostamente irá governar o mundo. Quem me dera se no início da minha carreira na fé eu tivesse ouvido uma boa notícia dessa. O teólogo Gary DeMar já denunciava que os evangélicos têm mais expectativas sobre a chegada do Anticristo do que no retorno de Cristo".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Os calvinistas e os arminianistas entenderam que João 6:39 ensina que Deus conhece todos os seus eleitos: “…o Senhor conhece os que são dele” (2ª Timóteo 2:19). Sendo assim, ao conhecer exatamente todos eles, é de se supor que o número de eleitos há de ser completado, ou terá um limite. O que isso tem a ver com o infinito? É que a heresia chamada Preterismo Completo, em geral, ensina que o nascimento de seres humanos não terá fim - bem como o sofrimento, a morte e a atual condição do mundo também existirão para sempre. Uma vez que a história humana nunca terminaria, logo, o sistema do Preterismo Completo, acaba negando a verdade bíblica de que o número de eleitos tem um limite".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Se o sistema interpretativo do Preterismo Completo for levado ao pé da letra, será possível dizer através das "sombras" proféticas do Antigo Testamento que Cristo, em Sua primeira vinda, não teria vindo em carne. Não é de se admirar que esse sistema de interpretação teve que re-interpretar a natureza da Ascensão, ao dizer que Cristo teria descartado Seu corpo. Se assim fosse, Cristo teria passado por uma segunda morte ao separar o corpo de Seu espírito e não poderia ser considerado Aquele que morreu, mas vive eternamente. E nem poderia mais ser considerado Jesus Cristo homem. Não tenho dúvidas de que o Preterismo Completo é um sistema gnostico que nega que Jesus permanece eternamente em carne no Céu. Por isto, todo aquele que abraça tal heresia faz parte do espirito do Anticristo".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus...”.

O verbo grego traduzido como “veio” está no tempo perfeito. Isto significa que Jesus não só veio ao mundo tendo um corpo físico como o nosso, mas também que Ele permanece até hoje com esse mesmo corpo. Qualquer comentário acadêmico ou gramática grega pode ser usada como referência sobre este ponto. Então, como podemos acreditar que Jesus está no Céu com Seu corpo físico, sendo que carne e sangue não podem entrar no Céu? A resposta é que na ressurreição o corpo recebe glorificação, mantendo-se físico e sobrenatural ao mesmo tempo. É por isto que Jesus podia aparecer, desaparecer e atravessar paredes e ao mesmo tempo dizer para os discípulos:

“E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito.
Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho”. (Lucas 24:37, 39)

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Conservando a fé, e a boa consciência, a qual alguns, rejeitando, fizeram naufrágio na fé. E entre esses foram Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar”. (1ª Timóteo 1:19,20)

A figura de um “naufrágio” na fé não significa a perda da salvação. Salvação não se perde! Mesmo porque em um naufrágio existe a esperança do resgate. E a esperança no caso de quem rejeita a boa consciência é ser entregue ao sofrimento causado pelo “naufrágio”, isto é, ser entregue a Satanás para ser disciplinado, para que não morra como o perverso devido à falta de disciplina (Provérbios 5:23)”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Por causa de ideologias infernais, como o Comunismo-Socialismo, o pessimismo dispensacionalista, e tantos outros “ismos”, o ser humano do ocidente ficou acuado, acovardado diante dos governantes. De todos nós foi roubado o espírito de coragem, o destemor diante da morte, a ideia de nos tornarmos mártires. Assim sendo, é por isso que temos obedecido cegamente as “autoridades” do inferno.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

Estamos vivendo uma ditadura comunista?

Fiquei calado por um bom tempo, mas agora resolvi me pronunciar. A atual atitude dos governadores e prefeitos é, de fato, um modo de operação ditatorial. Estamos vivendo uma ditadura comunista. Sei disso porque que estudei o assunto.

Se você acha que esse isolamento mais os policiais agredindo a população de bem é por causa do Covid-19, saiba, vírus é só o primeiro passo para o Estado dominar por completo.

Do ponto de vista financeiro, para mim não faz diferença alguma se o comunismo-socialismo vai ser instalado de vez no Brasil. Não tenho nada a perder financeiramente! Os únicos que têm muito a perder são os ricos, muitos dos quais são verdadeiros babacas, cabeças vazias, cujo o deus deles é somente o dinheiro.

A polícia já se posicionou do lado de quem vai ficar. Ela está cumprindo ordens das autoridades, não do povo que é seu verdadeiro patrão. Policiais também têm família para sustentar, não é mesmo? O exército está morto numa sepultura. Não sei se vai ressuscitar. Até que se prove o contrário, aqui jaz o falecido exército.

O que resta é o povo. Mas, uma vez que todo poder emana do povo, e o mesmo tem aceitado à atual situação, que seja feita a vontade do povo. Sendo assim, eu, oficialmente, me posiciono como alguém que não fará resistência alguma contra a implantação do comunismo-socialismo. Que venha mesmo! Quem sabe assim as pessoas se conscientizem para tornar-se cidadãos melhores. Nada melhor que o sofrimento para transformar muitos.

A única coisa que me resta é a poderosa Fé em Jesus Cristo, o qual, no final das contas, vencerá qualquer inimigo. Esta fé ninguém me tira!

Se você acha que a coisa não é bem assim do jeito que estou falando, é que você é apenas mais um que gosta de opinar daquilo que não sabe e, também, tu és mais um burro que não dá ouvidos e ridiculariza quem estuda as questões.

Que seja feita a vontade do povo! Cada povo tem o governo que merece e não sou eu quem vai usar a inteligência para dar a cara para bater. Eu acredito somente na subversão do Reino de Deus, a qual no devido tempo consertara este país. Deus também espera que o povo reaja. Como a população não reage, todo o processo de melhora da nação vai demorar mais.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Você quer ver um crente duro de coração mudar sua escatologia pessimista rapidinho? Quer vê-lo abandonando a especulação em torno de um futuro Anticristo e uma Grande Tribulação? Basta uma ditadura comunista-socialista ser implantada hoje no Brasil prendendo e perseguindo cristãos, que você verá o quanto a escatologia dos atuais crentes não passa de pura teoria. Esses crentes que tanto defendem com unhas e dentes que haverá um caos futuro, assim agem porque acreditam que serão outros - não eles e seus filhos - que estarão vivendo os tempos do fim teorizado por eles. É fácil negar o otimismo da escatologia bíblica vivendo em tempos de paz e liberdade".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

A dor de perder TUDO

"Jó teve dez filhos e era muito rico. Todos os seus filhos morreram tragicamente de uma só vez. Perdeu tudo somente em um dia! (Jó capítulo 1). Por conta disso, passou longos meses de dor e questionamento. "Onde estava Deus?" Embora cruelmente difícil, Jó superou tudo porque não perdeu DEUS. Qualquer situação trágica pode ser uma eterna noite de escuridão, mas quem perde Deus, perde TUDO. Quem não perde Deus, acaba, na vida eterna, tendo tudo de volta. Quem não tem essa esperança, já está morto (mesmo estando vivo biologicamente). No final das contas, tudo acaba bem, porque tudo está indo em direção a Cristo. Tudo o que perdemos nesta vida já está lá, em Cristo.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

O uso de máscaras na quarentena

Aqui vai um recado para você que usa máscara 24 horas por dia: quando acabar a suposta pandemia de Covid-19, não se esqueça das outras doenças. Ainda temos o perigo da tuberculose, H1N1, gripes, doenças respiratórias, pulmonares, poluição etc.

Ah! Não se esqueça também que precisará usar repelente para evitar a picada do mosquito da dengue. Também não se esqueça da camisinha, a AIDS ainda existe, viu.

Não sejamos hipócritas!

Nunca cuidamos das reais ameaças que sempre estiveram ao nosso lado. Quem morreu, morreu. Quem se salvará, há de ser salvo. Sempre foi assim e as nossas vidas nunca foram tão amputadas como agora.

Algo está errado, você não acha?

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Quando um ateu resolve falar sobre Deus e teologia, o resultado é um desastre. Este é o caso do biólogo evolucionista e divulgador científico Richard Dawkins, autor do livro intitulado “Deus, Um Delírio”. Tive a oportunidade de ler esse livro no ano de 2009. Não é toa que a ciência está cada vez mais em descrédito e mergulhada na superstição e na mitologia. Precisamos urgentemente que a ciência moderna seja sem cientificismos e ideologias, para que a humanidade possa continuar sua jornada em busca do conhecimento. Precisamos voltar as raízes simples da antiga cosmologia, aceitar a percepção do mundo tal como Deus deu capacidade para o ser humano poder contemplá-lo”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"O Dispensacionalismo é de fato uma doutrina de demônios. Essa peste enganou muitos cristãos sinceros, destruiu nossa cultura, entregou o mundo para os filhos do diabo e atrasou o progresso do Reino de Deus. O Dispensacionalismo não é uma questão secundária da fé, mas é uma manifestação demoníaca entre os filhos de Deus. O mal que estamos vivendo hoje em nosso país e no mundo é, em grande parte, culpa do Dispensacionalismo. De fato o Senhor nos livrará desse grande mal".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

Sobre a Maçonaria

"Se a maçonaria pertence ou não ao diabo não é o objeto primário da minha análise. O que penso sobre a maçonaria é o critério que devo ter antes de se filiar a ela. Eu não aceitaria entrar na maçonaria por três grandes motivos:

1°. Jamais devo participar de uma cerimônia de iniciação jurando guardar todos os segredos da maconaria;

2°. A passagem de um grau para o outro gera cada vez mais comprometimento até chegar ao grau 33;

3°. Que segredos são esses que devem ser rigorosamente guardados?

Qualquer pessoa com a sanidade mental em dia deve pensar nesses três critérios, pois a grande questão é o comprometimento. Onde você está entrando? Com o quê ou quem você está lidando? Isto é uma regra geral para avaliarmos qualquer instituição humana antes de uma filiação, seja religião, partido político ou mesmo um clube. Os maçons são pessoas boas e também são alvo do amor de Deus. Eles foram e são importantes para as decisões em nosso país. Para terminar, usando termos maçons, não quero ser um profano em busca de luz, mas quero que a Luz busque a mim, grande profano. Prefiro a Luz do evangelho, a qual é Jesus Cristo, a verdadeira luz que ilumina a todo o homem. Que o Grande Arquiteto do Universo abençoe a todos. Lembrando que a frase "Grande Arquiteto do Universo" deveria ser usada pelos cristãos, não pelos maçons apenas".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Porque os membros das igrejas católicas e evangélicas andam tão acovardados diante da situação que vivemos atualmente no Brasil? É que foram décadas de ensinamentos falsos, obsessão pelo mal, espera pelo Anticristo, proibições arbitrárias, pastores e padres envolvidos com ideologias infernais etc. Enfim, os crentes entregaram o mundo e suas coisas boas nas mãos dos inimigos de Deus. A espera do cumprimento de um futuro pessimista tornou a suposta profecia bíblica auto-realizada. Os crentes vivem aquilo que tanto temiam. "Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu" (Jó 3:25). Despreparados e temerosos, os crentes agora vão ter que expulsar de seu meio o demônio e suas ideologias pessimistas sobre o mundo para poderem voltar a ser sal e luz do mundo. Espero que todos aprendamos a não mais cultuar o mal e suas variadas formas".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"[Deus] não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo...".

"...para buscarem a Deus se, porventura, tateando, o possam achar...".

Os textos de Atos 14:16-17 e Atos 17:26-28 são explicitamente esclarecedores sobre o destino daqueles povos pagãos que nunca "ouviram" o evangelho. Uma vez que a Palavra de Deus não volta vazia, é de se supor que a Revelação de Deus - seja pela Revelação Geral da natureza, ou através de algum lampejo de verdade que pertence a Cristo dentro do próprio paganismo - tenha sido a luz fornecida pelo Espírito Santo para que muitos pudessem encontrar a Cristo, ainda que tateando na escuridão. Me deixa pasmo como muitos pastores não conseguem enxergar isso".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Só existem dois tipos de escatologia: uma de esquerda e outra de direita. A escatologia de esquerda é representada pelo Amilenismo, Dispensacionalismo, Historicismo e Preterismo Completo. Todas elas em certa dose - uma mais que a outra - promovem o desânimo, o cruzamento de braços em relação a salvação do mundo, ao mesmo tempo em que está mais que visível que a esperança de seus adeptos é o caos promovido pelo Anticristo. A escatologia de direita é representada pelo Preterismo Parcial e pelo Pós-milenismo, os quais trazem a esperança de poder promover o bem para o mundo e, assim, preparar o caminho para a chegada de Cristo. Lamentavelmente as multidões de crentes rejeitaram essas duas últimas correntes escatológicas. Isto por si só é um sinal para que muitos cristãos sinceros abram os olhos. Afinal, até agora todos nós já ouvimos notícias ruins demais dentro dos templos. Que tal agora darmos ouvidos a Boa Nova do evangelho sobre o que o futuro reserva para a humanidade?"

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

"Deus nunca teve nada haver com religião. Quando falo em Jesus Cristo, não falo sobre religião. A religião é apenas uma instituição que ocupa um espaco físico, onde apenas podemos supor que aprendemos alguma coisa sobre Deus. O certo mesmo para aprender sobre Quem é Deus, é ler os evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João. Pois quem conhecer a Cristo, estará conhecendo a Deus".

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“As estrelas cairão do céu”. - Mateus 24:29
“E as estrelas do céu caíram sobre a Terra...”. - Apocalipse 6:13

Os adventistas do sétimo dia dizem que os versículos acima tiveram cumprimento surpreendente e impressionante na grande chuva meteórica de 13 de novembro de 1833. Ellen White disse que essa chuva de estrelas cadentes era o último dos sinais da Segunda Vinda de Cristo. O problema dessa interpretação é que o imaginário judaico sobre o “Universo em colapso” ou “linguagem de des-criação do Universo”, muito comum no Antigo Testamento, é negado (Juízes 5:19-20; Isaías 34:4; Ezequiel 32:7; Amós 8:9). Essa linguagem foi usada na profecia da destruição da Babilônia em 539 a.C. (Isaías 13:10). O rabino judeu Moisés Maimônides escreveu:

“Eu não posso acreditar que alguém seja tão insensato e cego, mantendo o sentido literal das frases figurativas e oratórias, afirmando que na queda do reino da Babilônia aconteceu uma mudança na natureza das estrelas dos céus, ou na luz do sol e da lua, ou que a terra moveu-se de seu lugar”.

Portanto, a interpretação adventista é falsa!

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

“Mas daquele dia e hora ninguém sabe...”. - Mateus 24:36
“Não vos pertence saber os tempos ou as estações...”. - Atos 1:7

Se pegarmos toda a profecia descrita na Bíblia – do Gênesis ao Apocalipse -, veremos que ela é clara, explicita, objetiva, cristalina, verdadeira e pura sobre a questão de que não é possível saber a hora, o dia, o mês, o século e o milênio em que será a vinda de Cristo. Apesar de ser algo tão claro nas Escrituras, curiosamente é o assunto mais negligenciado, quer direta ou indiretamente. Até parece que a exortação de que ninguém sabe o “dia” foi entendida ao contrário, ou seja, de que é possível saber. De todos os erros interpretativos na escatologia bíblica, a marcação da data da vinda de Cristo é o caso que chega ao nível da aberração”.

César Francisco Raymundo, editor da www.revistacrista.org

 

 


 


 

 

 

 

 


 

 


 

 

 

Frases do Diário Escatológico 2016-2019. Agora reunido em e-book: